terça-feira, 20 de março de 2012

O pq da minha abstinência sexual: explicando

Tô devendo esse post pro pessoal q acompanha o blog.
Demorei pra escrever pq é algo q me dói, é indigesto, me provoca sentidos negativos... Enfim.

Eu não faço sexo há 2 anos e 2 meses.
O pq disso?
É q tive um surto, um pânico de contaminação com qualquer DST.
Foi uma coisa absurda. Me travou. Me trancou.
E veio do nada.

Comecei a ter pânico.
Antes disso tinha tido alguns peguetes, sempre algo curto, rápido.
Sempre usei camisinha no ato da penetração. Sempre.
Mas no sexo oral não, aliás, acho q a maioria faz um caminho próximo, né?
Bjo tb não tem como, né?
E eu confesso q adoro bjar. Acho libertador. Não sei pq.

Bom, minha neura foi algo absurdo.
Inclusive, acho q por conta do estresse vivenciado, contribuiu muito para uma crise de estresse q eu tive no começo de 2011 (não apenas isso, mas foi numa época pós prova de seleção do mestrado, TCC, etc).
Foi horrível, meu corpo formigou, foi algo tenso.
Isso tudo pós exame negativo para DSTs, e principalmente pro vírus da AIDS.
Aliás: quem faz o exame sabe como é tenso, né?
Antes do teste eu fiquei tão paranoico q identificava sinais e o cacete.
Após o exame fiquei tranquilo. Mas me tranquei.

Os médicos disseram q após grandes períodos de estresse o corpo costuma soltar uma carga de adrenalina gigantesca de uma única vez, o que pode gerar tais crises de estresse.

Enfim, fiquei esse tempo todo sem nada.
Sem relações, sem bjo, sem nada.
Resolvi sair pro mundo e msmo após só ter ficado no bjo com o Bancário, vem na cabeça tudo aquilo, saca?
Como se eu tivesse saído da minha redoma e me jogado em uma arena perigosa.
Msmo sabendo q a contaminação pelo bjo não ocorre, inclusive o Ministério da Saúde diz isso.
Alguém me entende?

Tenho um puta medo de encontrar uma pessoa bacana e não me envolver por isso.
Por medo de que algo aconteça.
Um grande abraço.

56 comentários:

  1. Mas vc pode matar dois coelhos em uma cajadada só. Encontre alguém bacana, conversem, beijem, quando já estiverem intimos fale de seu trauma, vcs realizam um exame para ver se está tudo bem e finalizam o ato.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo, já pensei isso.
      Mas sei lá. De verdade.
      Eu sei q o q tenho não é comum: dar um bjo e já sentir uma verdadeira paranoia. É complicado.
      Obrigado.

      Excluir
  2. prevenção,cuidados, responsabilidade é uma coisa ... criar e alimentar neurose é outra ... procure ajuda querido ... isto é mal e pode ter consequências futuras em sua vida ...

    bjão

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bratz, querido: eu sei.
      Isso q me incomoda, sabe?

      Eu sei q um bjo não transmite o vírus, mas msmo assim as coisas dão mil voltas na minha cabeça.
      E eu acho q isso já tem consequências na minha vida.
      Entende?

      Um bjo.

      Excluir
  3. ok, vc sabe q essa é uma crise comum que homossexuais passam e que se trata com terapia? URGENTE! pq seu problema é que vc acha q o sexo gay é perigoso e contaminado! SÉRIO, TERAPIA, URGENTE, RÁPIDO!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foxx: sim.
      Sei de tudo isso.

      O problema é q não tenho grana pra fazer terapia no momento. Entende?

      Um bjão.

      Excluir
  4. Tah e agente vai procurar terapia qdo?? Pk acho que tah claro que vc tá precisando ver essa questão, né???? Seu medo a cerca da contaminação não corresponde aos verdadeiros perigos de que ocorra e isso já pode ser caracterizado como uma fobia... Busca ajuda o qto antes!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aí gato, o problema é q tô com grana curta, aí já viu, né?
      Sim, preciso muito.

      Sabe o q mais me mata?
      É q as coisas são claras na minha cabeça.
      Muito claras, mas aí vem um medo louco q tento combater com informação, mas q não consigo.

      Achei q a coisa tivesse melhorado, mas pelo visto não avançou.
      Imagina se eu tivesse feito sexo oral?
      Pq sexo oral eu não faço com preservativo. Minha cabeça estaria louca.

      Um bjo e obrigado.

      Excluir
    2. Mas uma fobia não se resolve exclusivamente com informação.. Veja bem.. Alguém que tem medo fóbico de lagartixa, ao ver uma, sabe que ela não oferece nenhum risco, mas inexplicavelmente ela tem muito medo... É necessário fazer um trabalho com isso...

      Ai no Rio vc tem algumas alternativas mais baratas, clínicas de faculdade e tals... Mas tipo assim, gatinho... Vc tá considerando q tah meio sem grana por estar vendo como um assunto de menor importância... Se vc tivesse, por exemplo, com um ulcera não deixaria de estar tratando por estar sem dinheiro... Porém o problema tá tomando uma proporção ainda maior e se tornando ainda mais grave.... Já conversou com seus pais sobre esse desejo e fazer terapia ou sobre esse problema??? De repente é uma alternativa, que daí eles te ajudavam de alguma forma.. O assunto é sério vc não deve deixar de pedir ajuda...

      E assim... Se vc for trabalhar com TCC (Terapia cognitivo comportamental), o problema tende a se resolver de forma mais rápida do que vc pode pensar... Claro que não há garantia, não da pra ter certeza do tempo de duração disso, mas de repente aquilo que te incomoda tanto e não te deixa se relacionar por tanto tempo pode ser resolvido em alguns meses... Pensa com carinho nisso tudo!!!!

      Excluir
    3. Gatão: claro q pensarei.
      Mas não moro no Rio não.
      Acho q vc confundiu.

      Eu sei q é algo super importante e vc tem relação quando faz a equipara com a úlcera.
      Mas é q agora tô sem condições msmo.

      Com meus pais é complicado.
      No fim, eu sei q preciso de ajuda.
      Mas é bom saber q não é algo q só eu sinto/senti, né?

      Um bjo e obrigado.

      Excluir
    4. Tah... Bem.. Se vc tiver um tim e depois quiser passar o número a gente pode conversar melhor, vc me diz qual a sua cidade eu procuro saber se rola alguma alternativa mais em conta e te dou uns caminhos ai pra de repente vc tá buscando uma terapia, ou de como tá indicando a necessidade dela pra sua familia sem tah se expondo tanto...

      Excluir
    5. Querido: de coração, muito obrigado.
      O meu é Claro.
      Agradeço profundamente. De verdade.

      Com minha família a coisa é bem complexa.
      Ainda faço um post sobre isso.

      De qualquer maneira: muito obrigado!

      Excluir
  5. Ei, em primeiro lugar, sempre manter a calma. Nada se resolve na pressa, na correria. Eu não entendi se você precisa de informação ou terapia. Às vezes a informação já resolve. Eu não sou psicólogo nem especializado em psiquiatria, mas se quiser discutir um pouco comigo, to aqui pra isso.

    Uma alternativa que eu entendo e que é barata é a homeopatia, não sei se você sabe o que é ou já usou alguma vez. Se você quiser experimentar me escreve e a gente se acerta (luizcesar.medsp@hotmail.com).

    Não tem química nos medicamentos e eu tenho ótimos resultados em problemas físicos e psicológicos.

    Beijão e, se quiser, não se acanhe... me escreva.

    ResponderExcluir
  6. Oi querido, tô mais calmo depois de conversar com vc e comigo msmo.
    Informação eu tenho, por exemplo sei q beijo não tem perigo, mas minha cabeça vai na oposição disso tudo, sabe?
    Eu precisava de um bom analista.
    Entende?

    Eu sei q minha vida sentimental tem alguns buracos gigantescos e q necessitam de um olhar outro q me ajudaria bastante.
    Aqui vcs me ajudam muito já.

    Mas vc entendeu? Eu necessitei de uma redoma (q ainda não quebrei, pq no fim só bjei ele - sem sexo oral ou com penetração) para me sentir em segurança.
    Mas isso não é normal, até pq o desejo é latente.

    Entendeu?
    Obrigado querido!

    ResponderExcluir
  7. Querido:

    Voce precisa identificar o X da questão. O que desencadeou este "pãnico" todo??? Vc aceita sua condição sexual de verdade? Nâo associa a ela: sujeira, doença ou algo do gênero??? Às vezes vc pode pensar que não tem nenhuma relação, mas pode ter sim. Bem não fujo a regra dos demais: TERAPIA. Falta de grana??? Não tem nenhuma alternativa na tua cidade? Todo lugar tem grupo de DST/AIDS e neles tem psicólogo/a não tem acesso a eles?
    Abraços querido e força aí.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querido: obrigado!

      Gatão, o pânico começou quando comecei a ler sobre o assunto, saca?
      Acho q isso começou a despertar a neura.
      Depois busquei fontes confiáveis e vi q tem muita coisa errada, mas outras coisas me deixaram 'surtado'. Como ter feito sexo oral sem preservativo, saca? A penetração sempre fiz com preservativo.
      Depois fiz o exame, deu negativo e acalmei, mas entrei na Redoma.
      Mas entrar em neura por conta do beijo é complicado saca? Visto q o bjo não apresenta risco.
      Mas msmo assim vem na minha cabeça: E se... Saca? Msmo tendo visto q o Ministério da Saúde diz o contrário do q tô pensando. Informação correta eu tenho, mas e a cabeça...

      Eu me aceito, mas acho q não me faz bem não poder viver minha vida, por ter q morar na casa dos meus pais, saca?
      Então, mas acho q os psicólogos desses grupos trabalham apenas com o pessoal de lá.

      Um bjo e obrigado!

      Excluir
  8. Oi, meu querido! Tantas pessoas que eu conheço tem algum problema como o seu. Não é nada que você tenha que se desesperar, viu. Desculpe me intrometer, inclusive eu depois vou entrar em contato com ele pra explicar, mas, afinal, você viu que um médico lá em cima (o Cesar) propos te ajudar? Pensa um pouco, pode ser uma boa, não acha?

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lucas, mas vc se intrometeu como?
      O blog é aberto para participação. E esse é o objetivo: me ajudar a refletir acerca das minhas escolhas, ponderações e tudo mais.
      Obrigado pelas palavras.

      De verdade. Agradeço muito vcs.
      Depois de ler o q vcs escreveram minha cabeça ficou mais tranquila. De verdade.
      Principalmente por ler q não é algo de exclusividade minha, q outros vivenciaram/vivenciam.

      O fato é q tenho q acreditar nas informações de fontes confiáveis. Eu tive acesso a boa informação.
      O resto é tranquilizar minha cabeça e seguir.
      E na 1 oportunidades fazer terapia, pq acho q é importante pra vida msmo.

      Um abraço.

      Excluir
  9. Eu estou longe, mas gostaria de te ajudar.
    Sim, a terapia será o melhor, mas na falta de meios há outras hipóteses e uma delas tu já a iniciaste: falar abertamente no assunto, aqui e agora.
    Viste que os teus amigos te querem ajudar; fala mais particularmente com algum com quem tenhas mais à vontade, põe "tudo cá para fora" e ouve os bons conselhos.
    Estás a fazer um bicho de sete cabeças numa situação que não tem qualquer razão para tal.
    Ainda por cima estás "limpo", estás descansado.
    Se encontrares alguém de quem gostes, vai para a frente, fala sem receios e beija, não tenhas medo.
    O resto vem por acréscimo.
    Espero que resolvas o assunto e não o aumentes, para teu bem.

    ResponderExcluir
  10. Já pensou em procurar um psicólogo? Eu também sou hipocondríaco, mas isso aí é todo um outro nível de paranóia, bem mais grave. É bem como o gato disse: Tem certas coisas que são inconscientes e só informação não resolve.

    Mas sem homeopatia, please. Balinha de açúcar resolve nada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. que deselegante, priminho!

      Excluir
    2. Lobo, já pensei sim.
      Muito.

      Mas é como falei: a grana é complicada.
      Essa vida de pós é foda.

      A homeopatia é uma das opções, como o Cesinha recomendou.
      Minha irmã toma e ajuda bastante.

      Mas eu acho q o q me ajudaria bastante é um bom terapeuta.

      Um grande abraço e obrigado.
      =)

      Excluir
    3. Deselegante porque?

      O que eu acho deselegante é médico que receita e farmacêutico que se propõe a vender placebo pra gente inocente. Homeopatia é balinha de açúcar com quantidade ínfimas de qualquer coisa que eles dizem que botam, só para manifestar o efeito placebo. Que funciona mesmo quando a pessoa tem noção de que aquilo é placebo.

      Excluir
    4. deselegante pq vc foi no mínimo mal educado ao afirmar isso... principalmente pq vc não é médico nem farmacêutico com acesso a estudos que comprovam que não é simplesmente assim. e mesmo que fosse apenas efeito placebo, se funciona: pq ele não deveria usar?

      Excluir
  11. Entao, todos falaram da terapia e acho sim que é um eficaz, mas se voce está com problemas de grana acho que pode sim tentar sair dessa sozinho.

    Voce ficou com panico de tudo, já conseguiu voltar a beijar, qndo encontrar alguém bacana converse sobre o assunto, vai devagar, se proteja e acho que pode dar certo.

    Sei que nao é fácil, que tem um certo panico na sua atitude, mas acho que vc já conseguiu sair deste comportamento com o beijo e pode sim conseguir sozinho. E claro, use as infos que vc tem para te deixar seguro e nao sozinho!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Otávio, mas eu confesso q esperava q meu corpo fosse reagir melhor.
      Mas acho q algo já melhorou com as palavras de vcs.
      E principalmente com o discurso de q não é algo tão incomum assim.

      Um grande abraço!

      Excluir
  12. O preconceito é uma coisa interessante... especialmente quando ele parte de pessoas que não entendem do que falam. Incrível! Assim caminha a humanidade...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "se tem uma coisa que eu respeito é a diversidade, inclusive de opiniões. O que, parece, não é regra geral."

      Beijos!!!

      Excluir
    2. Meus dois lindos:

      Gato: não entendi. Acho que você deveria colocar essa resposta (que é minha) um pouco mais lá em cima!

      Foxx: se puder “subir” também, pro mesmo lugar que eu mandei o gato (kkkkk) vai entender de quem é o preconceito.

      Excluir
    3. Adendo: opinião é uma coisa... palpite (infeliz) de quem não entende nada é outra!

      Excluir
    4. Adendo 2: se eu tivesse dito que psicólogo não serve pra nada, então eu aceitaria o "seu" comentário, viu meu Gato!

      Excluir
  13. ps. Engraçado como o prisioneiro consegue sempre fazer muita polêmica mesmo sem querer....

    ResponderExcluir
  14. Meninos: não briguem.
    Sério.

    Queria muito agradecer todos pela participação e disponibilização em fornecer uma conversa particular.
    De verdade. Não esperava.

    Mas minha cabeça tá mais leve após conversar com vcs.
    De verdade!

    Um abraço.

    ResponderExcluir
  15. Vamo apssar umd efumador nisso aki, minha gente!!!!

    ResponderExcluir
  16. Perfeitamente entendível e compreensível. Já passei por algo parecido também, mas meus motivos atuais são outros hahahaha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carlos: e vc superou com terapia?
      E atualmente é por conta do q?
      Sem querer ser invasivo...

      Um abraço e obrigado pela visita.

      Excluir
  17. sei lá sexo é tão bom q eu nao consigo ficar sem eheheeh

    ResponderExcluir
  18. Bem, eu pensei muito se deveria ou não fazer algum comentário aqui... e o farei, sob leve efeito do antiretroviral pra piorar a fobia (brincadeirinha - mas o efeito é sério... leve tonteira). 80% das coisas que eu falaria não te auxiliaria a lidar com isso, talvez te deixasse pior, por serem coisas que também me afetam por estarem relacionadas a um vírus que eu tenho. Todos sabemos que você não sente isso porque quer e também sabemos que sofre com essa questão. Sei também que não é desinformação. Uma coisa que aprendi lidando com a doença é o poder social que ela tem (mais até do que Garotinho e César Maia, acredite!). 95% do problema de viver com HIV está ligado a preconceitos sociais e ao ler seu post eu percebo como esse vírus também afeta pessoas que não tem sob a ótica do medo e do terror. Não te culpo por sentir isso, mas é lamentável ver o quão destrutivo essa merda é. Tente não ser prisioneiros de seus medos. Eu sei que é difícil... também tenho tentado. Um abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querido, tudo bem?
      Agradeço tuas palavras e visita. De verdade.
      E acho q vc entendeu q é algo q me escapa, né?
      Como disseram: acho q conversar com um terapeuta me ajudaria bastante.

      Um grande bjo.

      Excluir
  19. Vem cá que eu te tiro esse medo rapidinho... LEGOOOOOOO! Hugz, man!

    ResponderExcluir
  20. Cara...tb já passei por isso...é tenso.
    Ninguém merece.....sei bem como é.

    Mas, passa....ainda bem.

    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi querido!
      Uma pergunta: como vc saiu dessa?
      Um bjo!

      Excluir
  21. Uma boa receita pra isso é uma boa comida caseira. Saca? rs

    ResponderExcluir
  22. Nossa! Psicólogo, psiquiatra, terapia, medicação... Pra mim, esses seus medos são absolutamente normais, e o único especialista que pode ajudá-lo a superar é você mesmo. A grande questão é: o que você procura?

    Se o intuito for uns pegas aqui e ali, basta a prevenção. Não falo só camisinha, mas com relação a quem você anda pegando. Se tem medo, procure conversar mais e deixar a ação um pouco mais pra frente.

    Agora se o caminho for o tal relacionamento sério, sua mente vai estar tão focada em encontrar "O cara" que cada um desses medos será tratado com o tempo.

    Relaxa, e siga em frente!

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Peter: tomara!
      Tomara msmo.

      Eu sei q falar com vcs tem me ajudado muito mais q um dia imaginei.

      Um grande abraço.

      Excluir
  23. Caraca! Eu já estou ha 20 meses e estou quase louco.
    Embora eu dou uns pegas para não ficar pirado, embora não role sexo...
    Mas já passei e ainda passo por essa encanação com doença, eu não confio em preservativos, lembro-me que após o sexo eu sempre ficava encanado...
    Abraços

    ResponderExcluir
  24. Olha eu li esse post antes, não soube o que comentar, mas agora eu acho que seria interessante deixar minha opinião a respeito. Antes que me critiquem, já aviso que minha intenção não é desmerecer a postura profissional de ninguém.

    Bom, vc falou desse assunto num blog com seus amigos e AS OPINIÕES QUE AQUI ESTÃO SÃO DE AMIGOS, por mais que estes atuem profissionalmente na área da saúde (inclusive, na saúde mental). O que quero dizer é que são conselhos e não diagnósticos certeiros a respeito do seu problema. Não tenha a ilusão do contrário! Eu, mesmo sendo leigo na área da saúde, acredito que um bom diagnóstico não pode ser feito com base em um texto publicado na internet, pois esse seria um diagnóstico da interpretação que se faz ao se ler aquelas letras e não um diagnóstico da situação em que a pessoa se encontra (o que envolveria a percepção de fatores como o sofrimento que transpareceria pela sua entonação de voz, sua expressão corporal e outros detalhes que o texto não fornece).

    O que acredito que seja praticamente consenso nas opiniões de todos os leitores que comentaram aqui e na sua também é que: por mais que isso que você sente seja "normal", isso te gera um sofrimento com o qual você tem dificuldades de lidar sozinho. Só isso já seria motivo pra você considerar a possibilidade de receber ajuda profissional.

    Assim, vc recebeu várias sugestões de quais profissionais poderiam te ajudar (ou não) a resolver essa parada. Foi isso que seus amigos fizeram aqui.

    Mas qual seria o profissional ideal para você procurar? Bem, parece que, no seu caso, trata-se de uma questão psicológica. E vc recebeu sugestões para procurar profissionais (psicólogos, psiquiatras, médicos homeopatas, etc.) que poderiam te ajudar (ou não) a resolver essa parada. Como sabemos que, às vezes, um tratamento pode ser realizado com a ajuda de múltiplos profissionais, sugiro (COMO AMIGO E LEIGO NA ÁREA DA SAÚDE)que você procure todos estes profissionais e veja qual tipo de tratamento recomendado por estes te traz resultados mais interessantes. Considere que você tem o direito de escolher qual tratamento ao qual você vai se submeter, tem também o direito de pedir uma segunda opinião de outro profissional da mesma área e que, em certos casos, tratamentos diversos podem ser complementares uns aos outros (eu já fiz terapia com psicólogos, enquanto fazia uso de medicação psiquiátrica e essa era a melhor indicação para o meu caso e a qual me fazia sentir os melhores resultados).

    Assim, meu CONSELHO é: procure esses profissionais, converse com eles, entenda quais são as vantagens e desvantagens de cada tipo de tratamento e, se não estiver seguro, peça uma segunda opinião. Faça tudo até que vc seja capaz de compreender qual(quais) seria(m) o(s) tratamento(s) mais vantajoso(s) para o seu caso. Isso é o melhor jeito de aprender uma coisa essencial: o tratamento da sua aflição é sempre uma corresponsabilidade sua e do(s) profissional(profissionais) que está(estão) te tratando...

    Desejo sucesso pra vc!

    Abraços!!

    ResponderExcluir